Television

•Novembro 15, 2013 • Deixe um Comentário
A mudança de paradigma na televisão!
A televisão que conhecemos hoje deverá ascender a um outro nível de experiência ao espectador/utilizador, isto através de um conceito de “transmedia” , sendo que o desafio que se coloca não passa apenas na distribuição dos mesmos conteúdos pelas várias plataformas digitais, o que na generalidade já acontece hoje, mas sim na criação de conteúdos diferenciadores para cada uma das plataformas, pensados e criados desde a ideia, narrativa e até à sua produção exibição/ distribuição pelas possíveis “janelas” complementando-se entre si.

R.T.P.

•Janeiro 13, 2011 • Deixe um Comentário

A Sustainable Strategy for Portuguese Cinema

•Dezembro 26, 2010 • 1 Comentário

Cinesite A Magia do Cinema

•Dezembro 22, 2010 • Deixe um Comentário

REMEMBER NOW BY KARL LAGERFELD

•Dezembro 18, 2010 • Deixe um Comentário

REMEMBER NOW BY KARL LAGERFELD
THE SHORT MOVIE

 

Ensaio Fotográfico “Fotografia Cinematográfica”

•Dezembro 12, 2010 • Deixe um Comentário

Workshop Project / Criação de imagens Cinematográficas / Ensaio Fotográfico “Fotografia Cinematográfica”

Sábado, 29 de Janeiro de 2011 · 9:30 – 19:00

A imagem cinematográfica / ensaio fotográfico numa perspectiva cinematográfica .

Destina-se a especialmente a quem se interesse pela arte da fotografia, nomeadamente a fotografia cinematográfica.

Dividindo-se em dois módulos

1º Módulo

Dirigido a Actores, futuros actores, modelos, ou apenas alguém que deseje ensaiar a sua imagem a nível Cinematográfico, tem aqui uma excelente oportunidade .

O mesmo também será aberto a todos aqueles que tenham interesse na actualização e evolução do seu book fotográfico para a área cinematográfica.

Todos os participantes terão direito às suas imagens, resultantes dos ensaios realizados.
Excelente oportunidade para criar portfólio fotográfico em um “look” Cinematográfico.

2º Módulo dirigido

a fotógrafos profissionais ou amadores que desejem alargar os seus conhecimentos à fotografia cinematográfica.(criação de imagem cinematográfica)

Todos os interessados em participar neste Workshop devem fazer chegar as suas candidaturas de forma a serem avaliadas para felix.cine@gmail.com

Deve constar nessa mesma candidatura duas fotografias, uma de corpo inteiro e uma outra de rosto.

Para o módulo destinado a fotografos deverá ser enviado um breve currículo.

O valor do workshop é de 195 Eur.

Ps. este mesmo workshop servirá também de Casting/referência para futuros projectos filmicos .

Contacto para qualquer informação adicional 91 973 94 17

Sábado, 29 de Janeiro de 2011 · 9:30 – 19:00

Marco Bellocchio

•Novembro 21, 2010 • Deixe um Comentário

«No cinema como no amor, é preciso saber abandonar-se.
O realizador não deve explicar tudo.
»
Marco Bellocchio

…Uma lição de cinema só tem sentido, a meu ver, se for prática: o trabalho no local das filmagens, os takes, dirigir a equipa, os actores, comandar, faz isto, faz aquilo…

No local das filmagens, não existe democracia nem igualdade, é preciso rigor, interesse, afecto, respeito… Não acredito naqueles realizadores que, para fazerem chorar, pensam estar no direito de esbofetear ou insultar um rapariga bonita, etc. (conta-se frequentemente a história daquele realizador do fim do neo-realismo que, para fazer chorar uma jovem actriz, lhe batia nas pernas com uma chibata enquanto a filmava em grande plano.)… Mas na medida em que só posso trazer aqui um testemunho oral, digo que a coisa mais preciosa que um realizador pode ensinar aos que querem seguir esta profissão (uma profissão, entre outras coisas, extremamente complicada e fico sempre espantado que seduza tantos jovens) é o trabalho com os actores e actrizes… Porque não é a mesma coisa dirigir um actor ou uma actriz quando há a necessidade de convencer, “seduzir” (e a “sedução” unicamente “artística” de uma actriz é totalmente diferente da “sedução” de um actor), ou até ser-se “seduzido”, o que não significa necessariamente ser-se frágil ou passivo…

Todos podem ensinar a técnica, mas a forma de fazer interpretar uma personagem que se imaginou por um ser humano é um dom da natureza. No entanto, pode-se aprender isso, em parte, com um realizador que não se subtrai ao risco de um insucesso… É impossível garantir um final bonito para qualquer relação humana”…

Marco Bellocchio